Dica

DIFERENTES OPÇÕES DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS PARA TRANSPORTE, MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE MATERIAIS

DIFERENTES OPÇÕES DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS PARA TRANSPORTE, MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE MATERIAIS legenda da foto legenda da foto legenda da foto legenda da foto legenda da foto

         

          As empilhadeiras elétricas, bem como outros equipamentos de movimentação de materiais, estão crescendo rapidamente no conceito dos usuários brasileiros, substituindo os equipamentos à combustão (principalmente as empilhadeiras a gás) e se tornando cada vez mais procuradas no território nacional. São equipamentos com alto índice de aprovação de mercado, estão em constante evolução e possuem custos operacionais muito baixos.

          São tantos os aspectos positivos desse tipo de equipamento que a quantidade de produtos que adotam esse tipo de tecnologia vem aumentando a uma velocidade realmente impressionante. Por esse motivo não se admire se for bombardeado de perguntas ao entrar em contato com um fornecedor sobre esse tipo de equipamento, pois é de fato necessário afunilar o seu interesse. Pensando nisso, relacionamos abaixo alguns conceitos mais relevantes sobre os equipamentos elétricos, nas suas configurações mais padrão, para ajudar você a entender as diferenças entre eles.

 

EMPILHADEIRA CONTRABALANÇADA

São opções de equipamentos com estrutura similar às empilhadeiras a combustão, dotadas de um contrapeso na parte traseira que visa equilibrar a carga a ser transportada. Esses equipamentos possuem alta versatilidade, sua estrutura é desenvolvida de modo que o equipamento consiga suportar condições de trabalho adversas podendo operar tanto em ambientes fechados quanto abertos além de conseguir trabalhar em chão irregular – contudo, vale lembrar que possuem rendimento máximo quando trabalham em chão plano, e um terreno irregular pode reduzir a autonomia da bateria que move o equipamento. São as opções que caracterizam as maiores capacidades de equipamentos elétricos, podendo chegar até a 16ton de capacidade.

 

EMPILHADEIRA RETRÁTIL

É uma opção marcada principalmente pela grande capacidade de altura de elevação da carga, atingindo valores normalmente em torno de 12,5m dependendo do modelo escolhido. Movimentam-se em sentido horizontal em relação aos garfos e por isso são indicadas principalmente onde se visa a verticalização dos estoques e o espaço de circulação dos corredores é pequeno, impossibilitando o trabalho com uma empilhadeira contrabalanceada. As rodas são feitas de material duro e precisam de um chão completamente plano para executar as operações. Não são indicadas para atividades em ambientes abertos. 

 

EMPILHADEIRA PATOLADA

Possuem uma proposta parecida com a retrátil, porém para trabalhos menores, que não envolvem grandes volumes ou rotinas logísticas mais intensas. Sua capacidade de levante normalmente gira em torno de 4,5m. Assim como a retrátil, as rodas são feitas de material duro e a proposta de trabalho desse equipamento é para ambientes fechados e com piso plano. Existem também algumas opções semi-elétricas onde o operador consegue erguer a carga eletricamente mas precisa empurrar o equipamento para movimentação do mesmo, essas opções, porém, não são comuns nesse tipo de equipamento.

 

TRANSPALETEIRAS

Muito parecidas com as empilhadeiras patoladas, a diferença é que as transpaleteiras não possuem a característica de empilhar, servindo apenas para transporte e manuseio de cargas em ambientes de trabalho com chão regular, podendo erguer a carga a uma pequena altura apenas par que seja feita a movimentação da mesma. São equipamentos muito comuns e muito procurados uma vez que oferecem grande agilidade nas operações de movimentação internas.

 

REBOCADORES

Os rebocadores elétricos oferecem grande facilidade e eficiência no transporte e movimentação horizontal sobre rodas de cargas pesadas, em ambientes internos e externos. São muito utilizados em operações logísticas setorizadas com demanda de movimentação constante de cargas entre um ponto e outra da empresa, como aeroportos, armazéns ou longas linhas de produção.