Dica

MANUTENÇÃO PERIÓDICA PREVENTIVA

MANUTENÇÃO PERIÓDICA PREVENTIVA legenda da foto legenda da foto legenda da foto legenda da foto legenda da foto


                As manutenções periódicas preventivas são um requisito obrigatório para quem possui algum equipamento de transporte e movimentação de cargas. Manter em dia a manutenção periódica preventiva do seu equipamento é fundamental par evitar imprevistos, e deixar de fazer essa manutenção acreditando estar cortando custos é um erro muito comum e que gera danos sérios ou irreversíveis ao seu equipamento e às peças que o compõe.

                Há uma série de fatores que influenciam na frequência com que se deve realizar a manutenção periódica, tais como o tipo de equipamento e instrução do fabricante, as condições gerais do ambiente de trabalho ou a qualidade dos produtos utilizados na manutenção e da mão de obra realizada.

                Algumas das vantagens de manter a manutenção periódica em dia são:

  • evitar problemas mecânicos graves que exijam manutenções corretivas ou que possam causar acidentes de trabalho,

  • assegurar a funcionalidade da garantia do produto,

  • prolongar a vida útil do equipamento e das suas peças,

  • evitar atrasados de produção por conta de um equipamento parado ou com mal funcionamento,

  • checar e tirar qualquer dúvida que o operador possa ter quanto ao funcionamento da máquina.

                O tipo de manutenção que precisa ser feito também varia conforme o equipamento. Por exemplo, nas empilhadeiras a combustão ou nas pás carregadeiras, a troca de óleo do motor e dos filtros de ar, combustível e lubrificante é feita em todas as revisões; já a troca dos óleos de transmissão e hidráulico não requer a mesma frequência, apesar de possuir igual importância quando chega o momento de ser feita. Já nos equipamentos elétricos, as revisões periódicas visam principalmente a checagem dos componentes elétricos e da densidade da solução da bateria nos casos das empilhadeiras com baterias de chumbo-ácido. E é claro, engraxar os pontos corretos também é indispensável para aumentar a vida útil das peças de desgaste de qualquer equipamento. Portanto, existem três princípios básicos sobre as manutenções periódicas que você precisa reconhecer:

  1. O bom funcionamento do seu equipamento depende diretamente da manutenção periódica ser mantida em dia;
     
  2. A manutenção necessária varia de equipamento para equipamento, e existe uma série de variáveis que determinam o plano de manutenção ideal. Portanto não monte um plano de manutenção baseado na experiência do seu vizinho, pois as condições de trabalho, o ambiente e o pessoal envolvido são diferentes, e o plano de manutenção deve sempre levar em consideração as particularidades da sua operação;
     
  3. Cada produto utilizado na manutenção periódica preventiva do seu equipamento desempenha uma função específica e deve ser utilizado de acordo. Sendo assim, não se pode assumir que o que funciona para o seu caminhão vai ser bom para a sua empilhadeira, ou que o produto utilizado na lubrificação do motor da sua pá carregadeira vai funcionar com igual eficiência na transmissão.

 

DICAS IMPORTANTES QUE AJUDAM A AUMENTAR A VIDA ÚTIL DO SEU EQUIPAMENTO

                Já sabemos então que a manutenção periódica preventiva é o fator mais determinante na vida útil do seu equipamento, e manter um bom plano de manutenção é indispensável para reduzir custos e evitar as manutenções corretivas.
 

Troca do FILTRO DE AR:

                O filtro de ar é o Calcanhar de Aquiles das máquinas a combustão, e merece uma atenção especial neste artigo. É realmente preocupante a quantidade de vezes que se escuta “o filtro de ar não precisa trocar” na hora da manutenção periódica. A troca desse filtro é tão importante que em alguns casos se orienta a troca dele com intervalos mais curtos do que os outros filtros básicos – lubrificante e combustível, sendo o intervalo definido conforme o ambiente de trabalho e a condição de operação.

                A limpeza do filtro de ar é também de fundamental importância, e normalmente se orienta que seja feita semanalmente ou diariamente dependendo da intensidade de pó no ambiente de trabalho. Essa orientação é repassada com ressalvas, no entanto, pois se durante a limpeza o filtro sofrer qualquer estrago ou desgaste a substituição se torna obrigatória. A troca também é obrigatória caso o filtro seja molhado, o que pode acontecer durante alguma limpeza com água, exposição à chuva ou a própria umidade ambiente. Por isso a necessidade de checagem diária do mesmo, de preferência antes do início das atividades do dia.


Qualidade do COMBUSTÍVEL:

                Toda atenção é pouca quando se fala em combustível. Utilize sempre diesel, gasolina ou gás de boa procedência. Nunca misture combustíveis de diferentes características e faça limpezas periódicas no tanque de combustível para evitar acúmulo de sujeira ou identificar a presença de elementos estranhos.

                Quando se fala em diesel, uma dúvida muito comum é sempre qual combustível utilizar, diesel comum (S500) ou S10. O combustível ideal varia conforme o equipamento e as orientações de cada fabricante, portanto é indispensável que seja esclarecido junto ao seu fornecedor o tipo de diesel indicado para o equipamento que você está adquirindo. Uma regra geral é a de nunca misturar ou variar os diferentes tipos de diesel, cuidado simples que evita problemas grandes na parte de injeção e bomba do seu equipamento.


Qualidade dos ÓLEOS LUBRIFICANTES:

                Assim como no combustível, a qualidade dos óleos de lubrificação tem um forte impacto no desempenho do seu equipamento e na vida útil das peças que o compõe. Os lubrificantes reduzem o atrito entre as peças do equipamento evitando desgastes prematuros. Lembramos novamente que cada parte do seu equipamento requer um tipo de óleo diferente, com funções e características bastante específicas. Nunca misture óleos de diferentes características. Esse descuido – ou descaso, por gerar danos sérios ao equipamento, trazendo a necessidade de manutenções corretivas caras e desnecessárias.

                Lembre-se sempre de lubrificar todas as partes do seu equipamento. MOTOR, TRANSMISSÃO, DIFERENCIAL e HIDRÁULICO são sistemas que normalmente requerem uma lubrificação líquida. Eixo traseiro, cilindros, torres, braços, correntes, rodas, pinos e articulações, rolamentos em geral, já são exemplos de partes que requerem uma lubrificação com graxa, que é muito mais pastosa. Por último existem os aditivos, que são produtos com funções específicas que melhoram o desempenho dos lubrificantes – ou da água, no caso do radiador.


Reposição da ÁGUA DE BATERIA nas baterias tracionárias:

                Outro aspecto de grande importância negligenciado pelos usuários e que gera grande preocupação e prejuízo, é a reposição de água desmineralizada nas baterias de chumbo-ácido das empilhadeiras elétricas. Essa reposição – e checagem, deve ser feita de acordo com os intervalos de carga, então dependendo da frequência de operação do equipamento essa reposição pode precisar ser feita mais de 1x por semana, enquanto que a checagem deve ser feita diariamente.

                Clique Aqui para conhecer melhor os cuidados necessários com as empilhadeiras tracionárias.


FREQUÊNCIA das revisões periódicas:

                Não existe um intervalo padrão que defina a frequência ideal para as revisões periódicas preventivas uma vez que essa necessidade varia conforme o equipamento. Oriente-se sempre pelo manual do equipamento ou pela instrução provida pelo fornecedor do equipamento ou por um prestador de serviços de sua confiança que ofereça mão de obra qualificada.


Particularidades do AMBIENTE DE TRABALHO:

                O ambiente de trabalho é um fator de grande peso na vida útil do seu equipamento, e de forma geral determina o plano de manutenção ideal. Como exemplo, podemos citar algumas situações bem comuns:

- atividades que emanam alta concentração de pó precisam de maiores cuidados com a limpeza e troca dos filtros de ar, e normalmente indica-se o uso de mais de um filtro de ar nesses casos;

- ambientes de trabalho com rampas, morros ou outros desníveis requerem maior cuidado com o torque;

- atividades que geram resíduos tóxicos ou corrosivos exigem maior atenção na lubrificação geral dos componentes por possuir um desgaste mais acentuado;

- equipamentos que atuam em operações logísticas curtas, com muitos obstáculos ou com maior trânsito tendem a utilizar mais os freios gerando maior desgaste dos componentes;

- ambientes com temperaturas muito baixas, como as câmaras frias, ou muito quentes, como um forno industrial, normalmente acabam sujeitando o equipamento a uma variação de temperatura muito acentuada, o que acaba comprometendo a integridade do equipamento e das peças que o compõe.